Angola começa a reabrir paróquias e locais sagrados em várias dioceses

Igreja na África

Na diocese do Lwena (Moxico), D. Jesus Tirso Blanco ressaltou na Missa de abertura das actividades religiosas, as medidas de biossegurança, que segundo o prelado, devem ser seguidas à risca pelos fiéis.

O País vê nos últimos tempos aumentar o número de casos positivos. O novo Coronavirus já atingiu 189 pessoas, deste número 102 continuam activos, 77 recuperados e 10 óbitos. O país conta com 57 casos importados, 123 de contaminação local e 9 com vínculos epidemiológicos desconhecidos.

E a decisão de manter as portas das igrejas encerradas em Luanda e no Kwanza Norte foi anunciada pela Ministra angolana da Saúde, Sílvia Lutucuta, durante a habitual conferência de imprensa de actualização de dados da Covid-19.

“Apesar de termos feito uma projecção, no Decreto de estado de calamidade, em que estimávamos que os locais de culto e de cerimónias religiosas abririam no dia 24 de junho, tal não vai acontecer nas Províncias de Luanda e Kwanza Norte por causa da evolução epidemiológica, ou da situação epidemiológica actual”, justificou a Ministra.

Luanda e Kwanza Norte são as únicas Províncias onde se registaram, até à data, casos positivos de Coronavírus.

Apesar do desejo de retornar à Casa de Deus, alguns fiéis em Luanda concordam com o adiamento da reabertura dos templos.

“Em primeiro lugar, está a saúde” afirmou Maria Isilda Sambalanda, membro da Promoção da Mulher na Igreja Católica (PROMAICA), que deixou igualmente uma mensagem esperançosa aos cristãos de Luanda e Ndalatando.

POR: Anastácio Sasembele – Luanda, Angola – VATICAN NEWS