Bispo Argentino: Suspender celebrações é medida exagerada que afeta saúde espiritual dos fiéis

Igreja

O arcebispo de Córdoba, na Argentina, Dom Carlos Ñáñez, alertou o governo provincial sobre sua decisão de não aceitar as novas restrições à mobilidade social e ao culto religioso, que foram aplicadas esta semana em seis departamentos de Córdoba com a intenção de conter novas infecções causadas pelo coronavírus.

Dom Carlos Ñáñez dirigiu-se aos arquidiocesanos ontem, dia de Santa Teresa, para explicar-lhes as decisões que havia tomado a propósito das restrições impostas pelo governo da Província:

“Escrevo-lhes para comentar brevemente como estou vivendo a situação derivada da pandemia que nos aflige a todos e a gestão realizada perante o poder público”.

Novas disposições do Governo e a necessidade de alimentar esperança

“Depois de ter recebido, no último fim-de-semana, as disposições de um novo decreto de necessidade e urgência, tanto a nível nacional como provincial, sinto a necessidade de aproximar-me de cada um de vós para vos acompanhar e alimentar a esperança de novos tempos.

Suspender as celebrações litúrgicas: medidas exageradas que afetam a saúde espiritual dos fiéis

Dom Ñáñez recordou que “Ao longo de todo este tempo difícil, pudemos verificar que nas nossas Igrejas católicas os protocolos aprovados pela autoridade correspondente foram observados e são cuidadosamente observados.
E o arcebispo afirma que, ao mesmo tempo, nos nossos centros religiosos, sacerdotes, leigos e pessoas consagradas têm colaborado com a ação do Estado nas obras de alimentação e saúde, observando também os protocolos.
Porém, afirma Dom Ñáñez , “Diante da perspectiva de suspender as celebrações litúrgicas, fiz um apelo à autoridade provincial, manifestando meu desconforto e minha intenção de não acompanhar estas medidas, que considero exageradas, e que afetam a saúde espiritual das pessoas, especialmente em um período de prolongada quarentena. ”

Em nome de uma saúde, não se pode concentrar apenas no aspecto material e negligenciar o espiritual

Dom Ñáñez ressalta em sua carta que “Para uma boa saúde, todos os nossos aspectos devem ser equilibrados.

A mente, o corpo e o espírito devem estar em harmonia. Não podemos nos concentrar apenas no material e negligenciar o espiritual. É assim que nos ensina a boa ciência, à qual se soma a vivência da situação que vivemos desde o mês de março. ”

A urgência espiritual de todos os fiéis pode ser atendida: entendam a necessidade vital do espiritual

“Não vejo dificuldade em cumprir com prudência e, como tem sido feito, as medidas protocolares, a urgência espiritual de todos os fiéis pode ser atendida.
Os responsáveis ​​de cada comunidade, com a ajuda dos conselhos pastorais, devem discernir a forma de especificar o acompanhamento espiritual dos fiéis e, em caso de possíveis infecções, suspender essas iniciativas até a recuperação total da saúde dos seus membros.
Esperamos que nossas autoridades possam entender esta necessidade vital e também possibilitem o cuidado com a saúde espiritual dos cidadãos. ” (JSG)

POR: GAUDIUM