Bispo britânico lamenta “queda dramática” na renda de paróquias pobres após quarentena

Igreja

O Bispo de Shrewsbury (Inglaterra), Dom Mark Davies, declarou que as paróquias viram uma “queda dramática” na renda como resultado das medidas de confinamento por causa da pandemia de coronavírus COVID-19.

O Prelado exortou o governo a intervir para ajudar as dioceses que lutam financeiramente como resultado da pandemia.

“As semanas de confinamento nacional viram uma queda dramática de aproximadamente um terço das receitas paroquiais. Isso está causando um grave impacto no funcionamento das paróquias”, disse à CNA – agência em inglês do Grupo ACI.

O membro do parlamento local, Mike Kane, falou sobre a situação difícil da Diocese de Shrewsbury, no oeste da Inglaterra, na Câmara dos Comuns, no mês passado.

Assinalou, em 25 de junho, que a receita da diocese diminuiu um terço desde que o governo anunciou o confinamento em todo o país em 23 de março. Do mesmo modo, disse que essa perda de cerca de 875 mil dólares teria um impacto a longo prazo na capacidade da diocese de manter seus edifícios.

Kane, um deputado trabalhista de Wythenshawe e Sale East, exortou o governo a considerar a introdução de um “esquema melhorado de ajuda para doações” para ajudar as finanças diocesanas.

Por sua parte, Dom Davies disse que estava grato a Kane por propor o tema no Parlamento.

“Estamos trabalhando para mitigar o impacto no nível paroquial e agradecemos aos paroquianos que puderam continuar fornecendo apoio através de doações on-line durante a crise; caso contrário, a situação seria ainda mais grave”, comentou o bispo.

“A Diocese de Shrewsbury analisará quais economias são possíveis reduzindo custos ou adiando despesas. Infelizmente, isso significa que os gastos maiores nas paróquias em consertos e manutenção já planejados serão uma área na qual terão que economizar”, acrescentou.

O bispo também manifestou a sua preocupação com o fato de as obras serem mais caras do que eram antes, porque “os contratados devem enviar os novos custos que lhes permitam operar dentro dos limites de segurança da COVID”.

Dom Davies, além disso, ecoou o pedido de Kane para que se realizem mudanças no esquema de Gift Aid, o qual aumenta o valor das doações em 25%, permitindo que as instituições de caridade reivindiquem o imposto da taxa básica já pago pelo doador. O Gift Aid é um incentivo fiscal do Reino Unido que permite que as pessoas façam doações para fins fiscais a instituições de caridade dentro do território.

“Em 2008, houve um plano de ajuda de transição para Gift Aid para apoiar as organizações beneficentes quando a taxa de imposto sobre a renda caiu de 22% para 20%, por um valor estimado de 100 milhões de euros para instituições de caridade nesse momento. Agora, é necessário um tipo semelhante de acordo aprimorado para apoiar instituições de caridade, incluindo dioceses em todo o país”, disse Dom Davies.

“Como esse já foi um esquema operativo, o mecanismo para a entrega após o confinamento deve ser viável e fácil de implementar rapidamente pelo governo”, afirmou.

O Reino Unido, com uma população de quase 67 milhões, registrou 44.305 mortes pelo vírus em 6 de julho; e de acordo com o Centro de Recursos de Coronavirus Johns Hopkins, é o terceiro maior número de mortes no mundo depois dos Estados Unidos e do Brasil.

As igrejas católicas na Inglaterra foram autorizadas a reabrir para orações individuais e particulares em 15 de junho. As missas públicas foram retomadas em 4 de julho com medidas estritas de segurança para impedir a transmissão do coronavírus.

Publicado originalmente em CNA. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.