Bispo católico doa medula óssea para salvar a vida de uma mãe

Pró-família

Dom Michael Mulvey, Bispo da diocese católica de Corpus Christi (Estados Unidos) doou parte de sua medula óssea para salvar a vida de uma mãe.

Antes de se tornar bispo e quando servia em Austin, o Prelado se uniu em 2004 à organização Be the Match Registry, o maior registro para transplantes de medula óssea do mundo, que é administrado pelo Programa Nacional de Doadores de Medula.

Assim, o Prelado de 70 anos foi recentemente contatado pela organização e teve que viajar para San Antonio para fazer uma doação de células-tronco periféricas. Com essa ação, Dom Mulvey ajudou a salvar a vida de uma mãe diagnosticada com um tipo de câncer no sangue.

Embora o Bispo não tenha conhecido a mulher, explicou ao jornal ‘South Texas Catholic’ que fez a doação, considerando que “Deus me deu a vida e pude dar algo em troca e fazer uma grande diferença na vida desta pessoa, na de seus filhos e de sua família. É algo que penso com frequência”.

O Prelado ressaltou também que se uniu ao Be the Match após conhecer um pouco mais sobre a organização e depois de ver o trabalho de Leticia Mondragon, especialista em GenCure que trabalha junto com o Be the Match. “Apreciei seu comprometimento e dedicação nesta causa e, depois de ouvir mais sobre a instituição, me inscrevi”, afirmou o Bispo.

“A cada três minutos, alguém é diagnosticado com algum tipo de câncer no sangue ou um problema no sangue, como leucemia e linfoma”, disse Mondragon ao ‘South Texas Catholic’.

“Agradecemos ao Bispo Mulvey por compartilhar sua história, porque é muito importante que tenhamos líderes como ele promovendo nossa missão global para salvar vidas”, acrescentou a especialista.

O Bispo de Corpus Christi disse que ter sido capaz de ajudar alguém não foi apenas uma questão de caridade, mas um encontro espiritual.

“São Mateus diz que quando recebe um dom, deve dar também como um dom. Temos que recordar sempre que a vida é um dom e a verdadeira gratidão se expressa quando está disposto a devolver e compartilhar o que tem”, ressaltou o Prelado.

ACI