Bispo chinês renuncia a todos os seus cargos para se retirar a uma vida de oração

Igreja

O Bispo de Mindong, Dom Vicente Guo Xijin, renunciou a todos os cargos públicos para se retirar a uma vida de oração.

O anúncio foi feito por ele mesmo durante a Missa que celebrou na tarde de domingo, 4 de outubro, indicando que se tratava da última Eucaristia pública e que a diocese seria dirigida por Dom Zhan Silu.

Em sua homilia, Dom Guo Xijin pediu desculpas e assinalou: “não quero me converter em um obstáculo para o progresso”, por isso, no mês passado apresentou sua renúncia à Santa Sé.

Além disso, o bispo lembrou que durante a solenidade da Assunção de Maria especificou “que os sacramentos concedidos pelos sacerdotes (assinados ou não) são todos legítimos”, referindo-se ao acordo do Vaticano com o Governo.

A seguir, a íntegra da carta recebida pelos fiéis e que foi divulgada por Asia News:

Queridos irmãos e irmãs em Cristo:

Neste momento, quero, antes de tudo, pedir desculpas a vocês. Esta noite eu gostaria de ocupar um pouco do seu tempo, para compartilhar com vocês o que tem acontecido ultimamente e minha posição pessoal sobre isso. Talvez esses fatos e posições lhes interesse um pouco, pois dizem respeito à Igreja chinesa ou, em outras palavras, [estão] diretamente relacionados com a situação em nossa diocese. Porém, tudo isso é o sinal de uma nova era, uma nova página para a Igreja.

Em um momento tão extraordinário da história, precisamos de pessoas de grande talento, sabedoria, virtude e conhecimento, que sejam capazes de acompanhar a era atual, ou inclusive antecipar-se aos passos da época, para guiá-la. Sou uma pessoa que não possui talento nenhum, minha cabeça já está obsoleta e não sei lidar com as mudanças da sociedade; um pastor nascido em uma cidade pobre, que não tem talento, nem virtude, nem sabedoria, nem habilidade, nem conhecimento; diante dessa época que muda rapidamente, sinto-me praticamente incapaz.

Agradeço a Deus por ter me iluminado, me fazendo entender que já não sou capaz de caminhar ao passo desta época. Mas, também não quero me converter em um obstáculo para o progresso. Por isso, no mês passado decidi apresentar minha renúncia diante da Santa Sé.

Portanto, eu decidi:

1. Não participar de nenhum evento público a partir de amanhã. Esta Missa vespertina será a última que presidirei: a partir de amanhã, só celebrarei Missas em privado (ou seja, sem a participação dos fiéis), os fiéis podem receber os sacramentos e participar da missa, frequentando a igreja próxima. Durante a solenidade da Assunção de Maria, já especifiquei que os sacramentos que os sacerdotes concedem (assinados ou não) são todos legítimos.

2. Deixar toda a organização administrativa da diocese para me concentrar na oração. Com exceção da confissão, por razões de conhecimento pessoal, para todos os demais assuntos deverão se referir ao próprio bispo ou devem ir diretamente a Ningde, para apresentá-los ao bispo Zhan Silu.

3. Quanto ao uso das ofertas recebidas, desde o ano passado havia muitas pessoas que se interessavam por este tema. Posso dizer-lhe claramente que cada centavo da oferta recebida deve ser entregue à diocese (é o que é costume, além de ser uma norma estabelecida pela nossa diocese há 30 ou 40 anos). Além disso, é o Bispo Zhan quem cuida do assunto junto com seus sacerdotes. Já decidi deixar esta instituição de controle, porque não tenho a capacidade para ocupar este cargo de supervisor e também não sou digno disso: não devem entregar as ofertas para mim; portanto, a partir de amanhã, recuso-me a receber as ofertas. Podem entregar suas ofertas ao pároco ou a alguém em quem confiem.

4. Meus fiéis, vocês devem se lembrar de que sua fé está em Deus, e não em um homem.

O homem está sujeito a mudanças, mas Deus não.

A última recomendação: em qualquer circunstância ou mudança, nunca se esqueçam de Deus, nem ignorem os mandamentos do Senhor, nem prejudiquem a integridade da fé, nem protelem a salvação da alma, que é o mais importante.

Como estou prestes a deixar o cargo, peço-lhes que me perdoem por minha fraqueza e impotência, especialmente pelas ofensas que receberam durante minha atuação! Que Deus misericordioso esteja sempre com vocês, até o último dia de sua vida!

Seu pastor incompetente, Guo Xijin

Noite de Domingo, 4 de outubro de 2020.

Publicado originalmente por ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI