Bispo realiza Missa de desagravo em igreja queimada no Chile

Igreja

No domingo, 5 de janeiro, realizou-se uma Missa de desagravo pelo incêndio da Paróquia São Francisco de Borja, destinada ao serviço religioso dos Carabineiros (policiais) de Chile.

Eucaristia foi celebrada no lado de fora do templo, o qual foi incendiado no dia 3 de janeiro, enquanto acontecia uma manifestação na Praça Itália, em Santiago, localizada a quatro quadras da igreja.

Até o momento, dá dois suspeitos detidos.

À luz da festa da Epifania do Senhor, o Bispo Militar do Chile, Dom Santiago Silva, perguntou onde Cristo se manifesta destes tempos, “na história deste Chile atual”, “entre a violência, entre os desejos justos das pessoas, entre a falta de diálogo, entre a falta de respeito pelas pessoas e pelas instituições? Onde, Senhor, te encontramos, onde te manifestas?”, perguntou.

Não será que nos faltam sábios que nos permitam discernir os caminhos de hoje? Que, com uma voz profética, com uma voz forte, possam nos indicar para onde o Senhor quer nos levar e como sair destas dificuldades em que estamos?”.

“Quando falo de sábios, não falo apenas do mundo religioso, falo do mundo político, dos economistas, dos empresários, falo das pessoas simples, das pessoas que não têm muita educação. É que a sabedoria não tem nada a ver com pouca educação, mas de uma sabedoria tremenda. Façamos memória de nossos avós, que têm uma sabedoria impressionante. Talvez, nos faltam sábios”, disse.

Também refletiu sobre os “horizontes de humanidade” com os quais se está vivendo. “Quais pessoas estamos construindo, quais pessoas estão se expressando através do que está ocorrendo?”, questionou.

“É certo que também temos culpa e falo pela Igreja, porque não fomos o testemunho fiel e claro que deveríamos que ter sido. Mas, isso justifica isto/ Qual humanidade estamos construindo?”, acrescentou Dom Silva.

Nesse sentido, o Bispo Militar perguntou: “O progresso econômico satisfaz absoluta ou totalmente a pessoa? Quando só o projeto país pode estar assinalado pelo bem-estar econômico das diferentes instituições, pessoas, famílias, isso é suficiente? Onde ficou a espiritualidade?”.

“Em que momento perdemos a estrela e paramos de construir uma sociedade, para construir grupos humanos que querem dominar outros grupos humanos, para construir grupos que querem dominar sobre outros grupos independente do que o outro pensa ou quer?”.

“Falta-nos um Salvador! O filho de Deus que se faz um de nós, para converter nosso coração, para oferecer o que nós não podemos oferecer a outros. Para construir a partir da paz e da justiça. Para encontrar a estrela da verdade, do diálogo. A estrela da justiça, a estrela do perdão”.

“Falta-nos o Salvador para fixar os horizontes, estrelas de perdão, de respeito, de caminho que constrói uma sociedade preocupada particularmente pelos mais despossuídos, aqueles que têm menos. Isso não é mágica. Nós precisamos da conversão do coração”.

“Que o Senhor, através desta Eucaristia e na festa da Epifania, diante desta igreja destruída, nunca nos faça perder o desejo de ter um Salvador para poder reconstruir nossa sociedade na justiça, na paz e no direito”, declarou.

A Missa foi concelebrada pelo Núncio Apostólico no Chile, Dom Alberto Ortega, pelo Arcebispo de Santiago, Dom Celestino Aós, pelo Arcebispo Emérito de Antofagasta, Dom Pablo Lizama e pelo Bispo Auxiliar de Santiago, Dom Alberto Lorenzelli.

Também participaram o general diretor dos Carabineiros, general Maria Rozas, autoridades institucionais, delegações das forças armadas e efetivos policiais junto com suas famílias, amigos e vizinhos.

Ao finalizar a Eucaristia, a comunidade rezou uma Ave Maria e, em seguida, visitou a igreja danificada.

ACI