Bispos da Zâmbia agradecem ao Papa por sua doação para combater o coronavírus

Igreja na África

A Conferência Episcopal da Zâmbia (ZCCB) agradeceu ao Papa Francisco por sua doação de 100 mil euros para ajudar as pessoas mais afetadas pelo coronavírus no país africano.

Em declarações à ACI África, agência do grupo ACI, o secretário-geral da ZCCB, Pe. Cleophas Lungu, afirmou que “os bispos estão, em primeiro lugar, muito gratos ao Santo Padre pelo seu contínuo cuidado, liderança e resposta aos mais necessitados. Agradeceram especialmente por mostrar como está próximo do sofrimento e garantiram que o dinheiro será usado para o bem, como ele espera”.

O dinheiro, destacou o sacerdote, será dividido igualmente entre as 11 dioceses do país e será usado para os pobres, os indigentes, as viúvas e outros grupos vulneráveis, sem levar em conta sua etnia ou religião.

O Pe. Lungu informou que, além dos bispos da Zâmbia, os prelados do Zimbabué e do Malawi fizeram um pedido semelhante e cada conferência episcopal recebeu 100 mil euros.

“A situação na Zâmbia com esta pandemia é pior do que a de muitos países, considerando o fato da quarentena e de dependermos de outros países, especialmente dos nossos vizinhos, para abastecimento”, disse o sacerdote à ACI África.

A falta de insumos e equipamentos médicos como máscaras, desinfetantes e exames é um problema sério no país.

A quarentena na Zâmbia atingiu a economia que já foi afetada pelas piores inundações que o país sofreu em décadas. Cerca de 700 mil pessoas foram afetadas por esses fenômenos.

O sacerdote disse que isso agravou a situação de cerca de 2,3 milhões de pessoas afetadas pela seca no período 2018-2019.

“Acompanhamos as pessoas que testaram positivo para o vírus com orações, aconselhamento e administração dos sacramentos do Batismo e da Unção dos Enfermos. Sempre garantimos às pessoas que elas não estão sozinhas”, disse o Pe. Lungu.

Diante desses problemas, a Igreja através da Cáritas Zâmbia e outras instituições está na linha de frente da resposta humanitária, buscando doações de alimentos e equipamentos de proteção para pessoas vulneráveis, independentemente da religião.

Publicado originalmente em ACI África. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI