CNN en Español troca propositalmente tradução de fala de monja católica pró-vida

Pró-família

A rede internacional de notícias CNN en Español se viu em meio à polêmica, manipulando o discurso pró-vida feito pela irmã Deirdre “Dede” Byrne, cirurgiã e militar aposentada da Convenção Nacional Republicana nos Estados Unidos.

Em sua participação na Convenção Republicana, Irmã Byrne, atualmente parte da Congregação das Pequenas Irmãs Operárias dos Sagrados Corações de Jesus e Maria, disse que “ como médica posso dizer sem dúvida: a vida começa na concepção . Embora o que tenho a dizer possa ser difícil para alguns ouvir, digo isso não apenas porque sou pró-vida, mas porque sou pró-vida eterna e quero que todos nós vamos para o Céu juntos um dia. ”

A freira observou ainda que Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos e candidato à reeleição, “é o presidente mais pró-vida que esta nação já teve, defendendo a vida em todos os estágios”.

Mudando o significado do discurso da irmã Byrne, a intérprete da CNN en Español traduziu repetidamente “pró-vida” como “anti-aborto” em vez de “pró-vida” , uma manipulação da linguagem freqüentemente usada pelos defensores da legalização do aborto. , que argumentam que os defensores dessa prática também são a favor da vida das mulheres.

Uma intérprete oficial do Estado da Califórnia (Estados Unidos) consultada pela ACI Prensa, que pediu para manter em sigilo sua identidade, explicou que “ é muito difícil acreditar que a tradutora tenha decidido por conta própria mudar ‘pró-vida’ para ‘antiaborto’ . Em nosso trabalho, temos certa margem para escolher palavras específicas para explicar um conceito de forma mais clara, mas não podemos fazer qualquer tipo de interpretação subjetiva. Tanto é verdade que nossas traduções são protegidas por copyright ”.

“A única razão pela qual um intérprete faria algo assim é se ele ou ela está sob um protocolo específico de seu empregador , como alguém que trabalha, digamos, nas Nações Unidas e precisa evitar algumas palavras por razões políticas ou diplomáticas”, adicionado.

Até o momento , a CNN en Español não respondeu a uma consulta da ACI Prensa sobre se existe uma política interna da rede internacional que determina que “pró-vida” deve ser sempre substituído por “anti-aborto”.

Em declarações à ACI Prensa, Marcial Padilla, diretor de Consciência e Participação (ConParticipación) no México, destacou que “o discurso da irmã Deirdre Byrne na Convenção Republicana em agosto de 2020, antes das eleições presidenciais de novembro de 2020, lembre-se que é necessário assumir uma posição firme e clara da ciência, da fé e da simples humanidade a favor do direito à vida dos nascituros ”.

«Todos nós, crentes e não crentes, devemos assumir uma posição clara e decisiva, porque a ciência já o demonstrou, a favor da vida humana em todas as suas etapas», acrescentou.

Padilla destacou que “as campanhas a favor do aborto são baseadas em enganos e mentiras . Quando somos a favor da vida, somos a favor do ser humano, da dignidade de todas as pessoas ”.

O diretor da ConParticipación expressou seu desejo de que “latinos e não latinos nos Estados Unidos passem a ver esta questão fundamental como algo que pode continuar a definir o futuro daquela nação”.

“Nesse contexto, a mídia tem um papel muito importante. Basta uma amostra. Podemos ver o ridículo que a CNN fez, de que nem mesmo teve a decência de traduzir adequadamente o discurso da irmã Deirdre ”.

Para Padilla, “aquele desprezo e aquela atitude contra o direito à vida da CNN também é notado pelos eleitores, que sabem que nesta mídia não há fonte objetiva de informação”.

“Os meios de comunicação deixaram de se tornar, pelo menos no caso da CNN, transmissores objetivos dos acontecimentos, mas sim operadores políticos a favor dos promotores do aborto e contra o direito à vida”, criticou.

María Denisse Santos, médica e porta-voz da Coalizão Magna de Líderes Pró-Vida do México, disse ao ACI Prensa que ser pró-vida é “defender o menor, defender a vida de cada um de nós, de uma nação e do mundo inteiro”.

Santos lamentou que existam aqueles que “ tentarão esconder essa verdade chamando-nos de ‘antiaborto’ , como testemunhamos na tradução da CNN do discurso da irmã Byrne, porque no fundo reconhecem que ser ‘pró-escolha’ ou ‘pró-aborto’ é defender a morte ”.

“Mas a verdade sempre vem à tona, e hoje ser pró-vida é para todos e para todos”, disse ele.

A porta-voz da Coalizão Magna de Líderes Pró-Vida ressaltou que “a verdade é uma luz constante que, mesmo que tente se esconder, sempre sai um raio”.

“É o que está acontecendo com o aborto: cientificamente, a condição humana do recém-concebido é inegável. Desde a nossa concepção temos uma identidade biológica que nos diz que somos seres humanos ”.

“Hoje milhares de pessoas reconhecem o valor da vida humana, hoje não podemos ficar calados diante das piores injustiças”, acrescentou.

Para Sara Larín, fundadora da Fundação VIDA SV de El Salvador, “aquela CNN traduziu o termo ‘pró-vida’ como ‘antiaborto’ e não porque seu real significado é uma óbvia manipulação de informações a serviço de uma agenda ideológico ”.

“Essas ações são uma traição ao trabalho jornalístico que deve buscar sempre apresentar a verdade dos fatos . Não é ético alterar o depoimento de uma pessoa boa para prejudicar maliciosamente sua imagem para fins políticos ”, disse ele ao ACI Prensa.

Larín destacou que “ver que a irmã Dede teve a maravilhosa oportunidade de falar ao mundo sobre seu amor pela fé e pela causa pró-vida, enche todos nós que somos constantemente informados de que devemos colocar de lado nossas crenças com grande esperança. defender estrategicamente a causa do nascituro ”.

” É realmente encorajador que em meio a tanta censura e perseguição religiosa , o mundo inteiro tenha podido ouvir os ensinamentos da Igreja sobre a santidade da vida e como esses valores podem guiar uma nação a prosperar.”

O discurso da freira americana, ela continuou, “lembra a muitos de nós que esta causa tem muitas trincheiras e que não devemos negligenciar o que considero ser o mais importante, a batalha espiritual. Porque é essa luta que não fazemos humanamente, mas é aquela na qual confiamos em Deus e na qual somos testemunhas dos seus milagres para vencer sempre a morte ”.

“Todos nós pró-vida devemos fazer o que temos que fazer humanamente para ajudar os mais vulneráveis ​​e as vítimas do aborto, mas nunca devemos esquecer que cada ação realizada deve ser acompanhada de oração e que a cada triunfo obtido deve ser dada Glória a Deus” , ele expressou.

POR: ACI PRENSA