Descobrem objetos católicos históricos em casa inglesa do século XVI, uma era de perseguição aos católicos na Inglaterra

Igreja

Descobriram recentemente alguns objetos católicos históricos do século XVI, junto com centenas de outros da mesma época, debaixo das tábuas do piso da casa de campo Oxburgh Hall (Inglaterra), onde morou uma família católica em tempos de Reforma Anglicana.

Acredita-se que o esconderijo secreto da casa, localizado no condado de Norfolk, foi construído por católicos que praticavam sua fé depois da proibição decretada pela Rainha Elizabeth I em 1558.

A descoberta ocorreu durante um projeto de restauração realizado pela organização beneficente de conservação National Trust, que protege mais de 350 casas históricas, 160 jardins, 1.100 quilômetros de costa, 254 mil hectares de selva, 6 sítios do Patrimônio Mundial, 28 castelos, etc. .

Em 17 de agosto, a organização informou em um comunicado que a variedade, antiguidade e importância dos objetos encontrados e o que eles revelam sobre a história de Oxburgh Hall “o tornam uma descoberta única”.

Entre os itens católicos encontrados na casa de campo, que datam de 1482, estava um manuscrito iluminado em folha de ouro do século XVI, que se acredita ser parte do Salmo 39 da Bíblia Vulgata Latina.

“O texto é suficientemente diferente para identificá-lo como parte do Salmo 39 da Vulgata latina (Expectans expectaui). Entramos em contato com o Dr. James Freeman, especialista em manuscritos medievais da Biblioteca da Universidade de Cambridge, que explicou que a folha pode ser de um saltério, mas seu tamanho pequeno, de apenas 8 cm x 13 cm, sugere que já fez parte de um ‘Livro das Horas’. Esses livros de oração portáteis eram para devoção privada”, disse Anna Forest, curadora do National Trust que supervisionou o trabalho.

A curadora Anna Forest examina um manuscrito do século XV descoberto sob as tábuas do piso do Oxburgh Hall. Crédito: National Trust / Mike Hodgson.

“O uso de azul e dourado para as iniciais menores, em vez do azul e vermelho mais padrão, mostra que teria sido um livro bastante caro de produzir. É tentador pensar que este poderia ser um resquício de um manuscrito esplêndido e não podemos deixar de nos perguntar se ele pertenceu a Sir Edmund Bedingfeld, o construtor de Oxburgh Hall”, acrescentou.

National Trust explica que os Bedingfelds eram uma família nobre que estava em ascensão perante a Corte Real da Dinastia Tudor, até que Sir Henry Bedingfeld se recusou a assinar o Ato de Supremacia em 1559, que proibia a Missa Católica no país.

“A família católica devota permaneceu fiel à sua fé por séculos, apesar de ter sido condenada ao ostracismo e ser perseguida, e, inclusive, tinha um buraco secreto em Oxburgh para abrigar sacerdotes católicos”, acrescenta.

Outra descoberta foi um livro de salmos intacto com uma capa de couro em relevo datado de 1568. National Trust comentou que a pesquisa sobre o livro acabou de começar.

“Esses objetos contêm tantas pistas que confirmam a história da casa como o refúgio de uma devota família católica que preservou sua fé ao longo dos séculos. Contaremos a história da família e dessas descobertas na casa, já que agora estamos reabertos depois do confinamento”, comentou Russell Clement, gerente-geral de Oxburgh Hall.

Afirmou que este edifício “está lentamente revelando seus segredos”. “Não sabemos o que mais podemos encontrar ou o que pode permanecer oculto para que as gerações futuras revelem”, acrescentou.

Entre as outras descobertas estão fragmentos de livros do final do século XVI a tecidos elisabetanos de grande prestígio, bem como objetos modernos mais mundanos, como maços de cigarro e uma caixa vazia de chocolates que datam da Segunda Guerra Mundial.

A pesquisa continuará para identificar mais fragmentos recuperados e compreender mais da história, informou National Trust.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI