Diocese de Bariloche – Argentina pede abertura de igrejas com a participação dos fiéis

Igreja

A Diocese de Bariloche (Argentina) pediu à governadora da província de Río Negro, Arabela Carreras, autorização para realizar celebrações nas igrejas com a participação dos fiéis, aplicando medidas sanitárias para prevenir a propagação do coronavírus.

Segundo a informação expedida no município de Bariloche , localizado na província de Río Negro, todos os dias da semana, exceto aos domingos, podem funcionar com horário restrito as lojas de serviços, atividades esportivas, culturais e gastronômicas.

Levando em conta essas disposições, a Diocese informou que “os sacerdotes da cidade de Bariloche, endossados ​​pelo bispo Juan José Chaparro, enviaram uma carta à governadora Arabela Carreras solicitando a abertura das celebrações com a participação de fiéis em até 50% da capacidade dos templos, cumprindo o protocolo de segurança ”.

“Em várias ocasiões dialogamos com o prefeito de San Carlos de Bariloche sobre nossa preocupação com a realidade social e ao mesmo tempo apresentamos um protocolo para poder começar a realizar nossas celebrações religiosas com uma abertura gradativa à participação dos fiéis. O nosso bispo também fez o mesmo por vocês ”, recordaram os 16 padres que assinaram a carta.

“Há mais de um mês, vimos com espanto que bares e restaurantes puderam abrir (locais fechados menores que a maioria dos nossos templos) com possibilidade de entrada de até 50% de sua capacidade”, no entanto , “Não recebemos nenhuma resposta das autoridades às nossas demandas.”

“Por não recebermos resposta sobre o motivo pelo qual não fomos autorizados a abrir nossos templos com a participação dos fiéis, acreditamos que não há motivos objetivos que tornem a participação em celebrações religiosas mais perigosa para a saúde do que a abertura de bares e restaurantes, piscinas ou academias. Eles refletiram.

“Acreditamos que o apoio espiritual é uma parte essencial da vida das pessoas que frequentam nossa igreja”, acrescentaram.

Pelas razões apresentadas, os padres afirmam “que, neste ponto, a proibição que pesa sobre as nossas atividades corresponde mais a uma discriminação religiosa do que a razões objetivas; caso contrário, solicitamos que nos seja dada uma explicação clara e objetiva ”.

“Temos os protocolos e meios necessários para podermos cuidar de nós próprios”. Por isso, “queremos que nosso pedido explícito comece com nossas celebrações com a participação dos fiéis até 50% da capacidade de nossos templos desde os primeiros dias de setembro”, disseram.

Celebração de culto em Buenos Aires

Por outro lado, o Bispo Auxiliar e Provedor Geral de Buenos Aires, Dom Enrique Eguía Seguí, junto com outros líderes religiosos se reuniram com o Chefe do Governo da Cidade de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta, para discutir a abertura do templos com adoradores.

Cidade de Buenos Aires continua com a abertura parcial de alguns itens e serviços, bem como horários específicos de circulação, realização de ofícios e profissões e atividades de lazer.

Dom Eguía disse que no encontro “foi dito que isso seria possível na primeira quinzena de setembro e que o número mais auspicioso é 25% da capacidade do lugar, mas sem ultrapassar cerca de 40 fiéis”, disse ele em declarações ao Radio Grote .

Dom Enrique Eguía Seguí afirmou que “o lançamento das atividades na cidade, por parte do Governo, inclui em sua terceira fase o exercício da prática religiosa para as pessoas de fé, entendendo que isso ajuda na saúde mental, mental e espiritual dos fiéis ”.

Nesse tempo de confinamento pelo coronavírus “sempre quisemos priorizar a saúde

das pessoas, por isso deve-se entender que era necessário cumprir medidas preventivas que respondessem às demandas de isolamento social ”.

Nesse sentido, recordou que esta situação «é uma oportunidade para descobrir que a fé se desenvolve numa tríplice dimensão: o exercício da caridade, o anúncio do Evangelho e a celebração do culto».

“Assim o ensinou Bento XVI na Encíclica“ Deus é amor ”. Quando um deles não pode ser vivido plenamente, são os outros que ajudam a identificar-se com Cristo no amor pelos irmãos ”, disse.

Situação do coronavírus na Argentina

A Argentina tem atualmente mais de 380 mil casos de infecções por coronavírus e 8.129 mortes.

As autoridades de cada localidade tomam medidas de saúde e reativação social e econômica de acordo com a contenção ou propagação dos casos.

Entretanto, as dioceses, sob a orientação da Conferência Episcopal Argentina, elaboraram protocolos de saúde de acordo com as instruções da autoridade sanitária nacional e em coordenação com as autoridades locais.

POR: ACI PRENSA