Expulsam do estado clerical sacerdote argentino condenado por abuso de menores

Igreja

A Diocese de Reconquista (Argentina) informou que a Congregação para a Doutrina da Fé condenou à expulsão do estado clerical Nestor Fabián Monzón, sacerdote condenado à prisão por abuso sexual de menores.

“Esta resolução corresponde à primeira instância, sujeita aos recursos previstos no Direito Canônico”, descreveu o comunicado publicado em 8 de janeiro.

Em 18 de dezembro de 2019, o Tribunal de Primeira Instância de Reconquista, província de Santa Fe, condenou Monzón a 16 anos de prisão por ser o autor de crimes contra a integridade sexual de um menino e de uma menina menores, eventos que ocorreram quando era pároco de Maria Mãe de Deus.

A denúncia diante da Diocese de Reconquista foi realizada dias após o caso chegar à justiça civil. Por esse motivo, em abril de 2016, Monzón foi suspenso do exercício ministerial enquanto seus antecedentes eram enviados à Santa Sé.

Quando a resolução canônica ia ser notificada ao sacerdote de 51 anos, em 14 de dezembro, Monzón alegou motivos de saúde; portanto, a diocese esperou concretizar a notificação para depois publicá-la.

Naquela ocasião, a Diocese de Reconquista expressou sua renovação do “compromisso decidido de trabalhar na proteção de menores e pessoas vulneráveis ​​em todas as áreas do território diocesano”.

“Diante dessas circunstâncias difíceis, acompanhamos todos os afetados, especialmente as vítimas e suas famílias, e renovamos nosso compromisso em favor da verdade, da justiça e da paz social”, concluiu a diocese na declaração de 8 de janeiro.

ACI