França lembra Pe. Jacques Hamel, morto por jihadistas durante a Missa

Igreja

Há quatro anos, em 26 de julho de 2016, o padre francês Jacques Hamel morreu nas mãos de terroristas do Estado Islâmico que agrediram sua paróquia na cidade de Saint-Etienne-du-Rouvray, na Normandia, França, enquanto celebravam a missa.

O padre de 85 anos tentou impedir os agressores armados de facas, mas os jihadistas apunhalaram e cortaram a garganta ao lado do altar ao grito de “Allahu Akbar”, “Deus é grande”, em árabe. Ao ver-se mortalmente ferido, o padre Hamel gritou: “Fique atrás de mim, Satanás!”

Para recordar o padre, que está em processo de beatificação, a igreja em que Pe. Hamel foi assassinado, no domingo, 26 de julho, organizou uma missa presidida pelo arcebispo de Rouen, Dom Dominique Lebrun, em sua memória.

Posteriormente, foi realizada uma homenagem diante da placa em memória do padre Hamel, da qual também participou o ministro do Interior da França, Gérald Darmanin.

Em seu discurso, o Ministro do Interior elogiou a comunidade católica por seu senso de reconciliação e perdão: “Você não cedeu à tentação de rendição ou raiva, ao desejo de vingança ou vingança. Você escolheu a união e a paz ”.

Ele garantiu que “o assassinato de Pe. Hamel não atingiu apenas os cristãos, mas toda a França em seu coração e em seu espírito”.

“Não esquecemos que o padre Hamel morreu dos golpes da barbárie mais infame e cega, cometida em nome de uma ideologia assassina.” Não esquecemos que ele foi assassinado pela barbárie islâmica “, enfatizou o ministro Darmanin.

Processo de beatificação

O Papa Francisco se referiu repetidamente ao padre Hamel como um “mártir” e o convidou a orar porque “os mártires são abençoados”.

A fase diocesana do processo de beatificação de Pe. Hamel foi encerrada em 9 de março de 2019 e atualmente está na Congregação para as Causas dos Santos.

POR: ACI