Freira franciscana paquistanesa falece por COVID-19 após 51 anos à serviço de crianças deficientes

Igreja

A Irmã Ruth Lewis, religiosa franciscana da Congregação de Cristo Rei, morreu em 20 de julho com coronavírus enquanto ajudava crianças doentes no Paquistão. O governo paquistanês reconheceu seu trabalho com os mais necessitados, concedendo a ela um prêmio importante.

A irmã Ruth Lewis tinha 74 anos, 51 deles como religiosa, servindo os mais necessitados no Paquistão.

Esta religiosa foi, de acordo com Asia News, uma das figuras mais notórias da sociedade civil no país, fundou, junto com outras religiosas, a “Casa da Paz”, onde são acolhidas pessoas com várias deficiências mentais e físicas.

Após sua morte, o governo paquistanês concedeu à religiosa o prêmio Sitara-e-Imtiaz (Civil Award).

Nasceu em 1946 e sempre viveu e trabalhou em Karachi (Paquistão), onde desenvolveu inúmeras iniciativas em favor dos mais necessitados, especialmente daqueles com deficiências mentais e físicas.

Segundo destaca Asia News, a religiosa sempre exortou “seus meninos” a participarem do mundo dos esportes e das artes. De fato, quatro dos hóspedes da “Casa da Paz” participaram das Paraolimpíadas de 1998, nos Estados Unidos.

A criação da “Casa da Paz”, junto com as religiosas Irmã Gertrude Lemmens e Irmã Margaret D’Costa, foi decisiva para as pessoas com deficiência em Karachi, já que a Irmã Ruth sempre trabalhou para criar uma sociedade mais inclusiva, na qual pessoas com deficiência também possam contribuir.

“É um orgulho para todos os católicos e para toda a nação. A decisão de premiá-la é digna de admiração, porque realmente se colocou a serviço da humanidade, sem fazer nenhum tipo de discriminação”, assegurou a ativista social Mariyam Kashif.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI