Grande Marcha pela Vida organizada pelos católicos da Alemanha será neste sábado em Berlin

Pró-família

Dom Georg Bätzing, presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha, agradeceu aos promotores e participantes da “Marcha pela Vida” pelo constante compromisso em defesa e proteção da vida.

O site da Conferência Episcopal da Alemanha divulgou que a cidade de Berlim vai sediar no próximo sábado, 19 de setembro, a “Marcha pela Vida”, tradicionalmente organizada pela “Associação Federal pelo Direito à Vida” que, na edição deste ano, promove a proteção da vida humana desde a concepção até a morte natural.

Direito à Vida: a pandemia do coronavírus lembrou como os seres humanos são vulneráveis e necessitados de proteção

Dom Georg Bätzing, presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha, ao desejar as boas-vindas aos participantes, agradeceu a eles pelo constante compromisso em defesa e pela proteção da vida.

“A pandemia de coronavírus foi um poderoso lembrete de quão os seres humanos são vulneráveis e necessitados de proteção”, disse o prelado, que ainda acrescentou: “a experiência da fragilidade da nossa própria existência motiva muitas pessoas a mostrar uma nova solidariedade com os idosos e os doentes. Em todo o mundo, médicos e enfermeiros, mas também agentes pastorais, se expõem aos riscos à saúde para ajudar os doentes. Todos merecem o nosso sincero reconhecimento. Através desse compromisso, podemos nos tornar mais conscientes de que a vida é um dom de Deus que nunca perde o seu valor e pela qual vale a pena lutar”.

A vida conserva o seu significado em todas as situações através da certeza de que Deus a tem em mãos e quer conduzi-la das trevas para a luz.

A proteção da vida e eutanásia: ajudar uns aos outros, oferecer o conforto de Deus nos momentos de medo e solidão

O presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha lembrou também em suas palavras o debate que atualmente se realiza sobre a eutanásia.
Dom Georg Bätzing recordou como a posição dos cristãos deve ser para dar uma resposta humana à doença e ao sofrimento, em ajudar uns aos outros, em aliviar a dor física e emocional e, sobretudo, em oferecer o conforto de Deus nos momentos de medo e solidão.

“A vida conserva o seu significado em todas as situações, mesmo no aparente desespero, através da certeza de que Deus a tem em mãos e quer conduzi-la das trevas para a luz”, concluiu o bispo. (JSG)

POR: GAUDIUM