Igreja Católica na Inglaterra recebe 1,3 milhões de dólares em doações para combater a pobreza durante pandemia

Igreja

Igreja Católica na Inglaterra e País de Gales recebeu uma doação de 1 milhão de libras esterlinas (1,3 milhões de dólares) para combater a pobreza causada pela pandemia de coronavírus, COVID-19.

O dinheiro foi doado pela Fundação de Caridade Albert Gubay, fundada pelo falecido empresário bilionário Albert Gubay, que fez um acordo com Deus em sua juventude dizendo que, se ele ficasse rico, daria metade do seu dinheiro à Igreja.

O Cardeal Vincent Nichols, presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e País de Gales, disse em 9 de junho que “todo esse presente notável será gasto em alívio imediato das dificuldades” e, enfatizou, que “seus efeitos serão sentidos por toda a Inglaterra e Gales”.

Gubay, que morreu em 2016, acumulou sua fortuna através da Kwik Save, uma rede britânica de lojas de conveniência, e da Total Fitness, uma rede de academias e investimentos imobiliários. Após sua morte, sua fundação de caridade, com sede na Ilha de Man, valia cerca de 700 milhões de libras esterlinas (890 milhões de dólares).

O Cardeal Nichols disse que a fundação entrou em contato com ele, em 20 de maio, com a “notícia surpreendente” de que faria uma “doação imediata de 1 milhão de libras” à Igreja.

“Fiquei impressionado com a enorme generosidade desse pagamento único e concordei em cooperar na distribuição dessa doação para instituições de caridade católicas”, afirmou.

Após consultar os outros arcebispos metropolitanos da Inglaterra e País de Gales, o Cardeal convidou as instituições de caridade a solicitarem os fundos de emergência antes de 31 de maio, e que deveriam ser gastos com os pobres até o final de setembro.

No total, 38 candidatos solicitaram subsídios totalizando mais de 2 milhões de libras esterlinas.

A doação de 1,3 milhão de dólares será dividida em três partes, com mais de 508 mil destinados a bancos de alimentos locais e à provisão direta de alimentos, 317 mil para ampliar os programas de vale de alimentos, e mais de 425 mil para apoio financeiro imediato aos necessitados.

As instituições beneficentes que receberam o dinheiro farão relatórios sobre o impacto dos fundos até o final de outubro.

Os bancos de alimentos relataram níveis de demanda sem precedentes desde que o Governo impôs o confinamento no Reino Unido para impedir a propagação do coronavírus. O Trussell Trust, uma rede líder de bancos de alimentos, disse que na semana após a introdução do fechamento em março, distribuiu 50 mil pacotes de alimentos, quase o dobro do habitual.

Albert Gubay nasceu em 1928, na cidade costeira galesa de Rhyl. Seu pai era judeu iraquiano e sua mãe católica irlandesa.

Em uma entrevista de 2011 à BBC, ele disse que se voltou para Deus enquanto lutava para ganhar a vida como um jovem empresário.

“Num sábado, eu não sabia de onde viria o próximo centavo, fui para a cama e conversei com Deus”, recordou.

“Eu disse: ‘Deus, me ajude e o que eu fizer durante os anos da minha vida, quando eu morrer, metade irá para a igreja'”.

Em 2011, o Cardeal Nichols presenteou Gubay com uma condecoração pontifícia conferida pelo Papa Bento XVI por sua obra de caridade.

Em sua declaração de 9 de junho, o Cardeal Nichols expressou “sinceros agradecimentos à Fundação Caritativa Albert Gubay por essa doação excepcional e magnífica para um trabalho tão importante”.

“Em particular, agradeço à família Gubay por sua liderança neste notável presente, que se soma às doações caritativas regulares da fundação. Faço isso, não apenas em nome de todos os bispos da Inglaterra e do País de Gales, pela confiança que demonstram na eficácia do trabalho de caridade de nossas organizações católicas, mas muito mais importante, em nome de todos aqueles cuja dificuldade será aliviada por essa generosidade excepcional”, concluiu.

Publicado originalmente em CNA. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.