Mais de 5 escolas destruídas e 210 fechadas em Trípoli (Líbia)

Atualidades

No dia 3 de Janeiro – informa o Fundo das Nações Unidas para a Infância, quatro escolas foram atacadas na localidade de Soug al Juma’aa, a Este de Trípoli, causando prejuízos importantes, com um impacto em cerca de três mil alunos.

Ataques contra escolas põem em risco a vida das crianças

Os recentes ataques contra estruturas escolares e a insegurança em Trípoli e nas proximidades da cidade estão a pôr em risco a vida das crianças só pelo facto de irem à escola. Nenhum pai ou mãe deveria ter que escolher entre mandar os próprios filhos à escola ou mantê-los em segurança – escreve o UNICEF-Itália que acrescenta: mais do que lugares seguros, onde aprender e crescer, as escolas em Trípoli tornaram-se em lugares de medo. No entanto – sublinha – as crianças que não vão à escola são expostas a maiores riscos de violência e recrutamento para os combates.

Instrução, um direito fundamental da criança

A instrução é um direito fundamental de toda e qualquer criança, mesmo em áreas de conflito. Os ataques contra estruturas escolares constituem uma grave violação dos direitos da criança, do direito internacional humanitário e dos direitos humanos em geral. Privar as crianças da oportunidade de ser escolarizadas tem um impacto devastador no seu bem-estar e no seu futuro – afirma ainda o UNICEF que pede às partes em conflito na Líbia para protegerem sempre as crianças, para porem termo aos ataques contra as escolas e para se absterem de violências, incluindo os ataques indiscriminados sobre civis e infra-estruturas civis.

VATICAN NEWS