Maronitas constroem monumento em homenagem aos mortos na explosão de Beirute – Líbano

Igreja

No sábado, 12 de setembro, em Qatarba, no distrito de Byblos (Líbano), foi realizada a cerimônia de inauguração de um monumento em homenagem às pessoas falecidas na trágica explosão em Beirute.

Os cidadãos se reuniram para homenagear as quatro pessoas da cidade de Qatarba, ao norte de Beirute, que perderam a vida na explosão do porto da capital libanesa, que provocou a morte de cerca de 200 pessoas e deixou milhares de feridos.

Na tarde de 4 de agosto, uma explosão de 2.750 toneladas de nitrato de amônio em um depósito no porto de Beirute deixou grande parte da cidade destruída. A magnitude foi tão grande que chegou a ser sentida a 240 quilômetros de seu epicentro, na ilha de Chipre.

No monumento, escreveram os nomes dos quatro mortos, Charbel Tanios Karam, Najib Bechara Hitti, Charbel George Hitti e Joseph Tanios Roukh, junto com a frase “O caminho de Cristo foi o caminho da cruz, vocês o completam”, como lembrança das palavras de São Paulo: “”Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja”.

A organização maronita em espanhol, Maronitas.org, disse à ACI Prensa, agência em espanhol do grupo ACI, que os participantes fizeram um minuto de silêncio pelas pessoas que perderam suas vidas e “familiares e amigos abraçaram a cruz do monumento”, enquanto beijavam a cruz, “pedindo força a Cristo, para que a sua fé e a esperança cristãs, que brotam do mistério da cruz, não se percam”, acrescentou.

Durante a cerimônia de inauguração, o sacerdote da Paróquia de São José, Pe. Chady Bechara, pediu o descanso eterno dos falecidos e o consolo de Nossa Senhora para todos os familiares e amigos.

Além disso, convidou os fiéis a participarem da Missa presidida pelo Patriarca da Igreja Maronita, Cardeal Bechara Boutros Rai, no domingo, 13 de setembro, no Santuário Nacional de Nossa Senhora do Líbano em Harissa, por ocasião dos quarenta dias da explosão.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI