Maurício Ribeiro: Caso da sanção do Facebook, me senti como um irlandês católico no Império Britânico

Artigos/Opinião

Eu admito aqui que não costumo escrever textos, sou na verdade um apresentador de vídeos, trabalho com comunicação modéstia parte tento fazer o melhor, mas sou apenas um auto-falante que informa os católicos e um soldado em defesa da Igreja.

Porém hoje na sexta-feira, 17 de julho de 2020, peço aqui a permissão dos meus amigos autores, escritores de textos que sempre colaboram para o nosso Observatório Católico, para escrever…

Ontem quando recebi a notícia através de nosso editor de mídia social de que a fanpage do Observatório Católico havia recebido uma sanção por parte da plataforma Facebook, achei que era algo simples, que se resolveria.. um bug, pois a fanpage sempre cumpriu todas as diretrizes dessa rede social, sempre cumprimos nestes mais de 5 anos de existência deste apostolado.

O Observatório Católico no Facebook simplesmente publica notícias relacionadas a Igreja Católica, textos sobre história, notícias sobre o clero, questões apologéticas, notícias sobre paróquias que sofrem perseguições (anticatolicismo), vandalismo anticatólico que vem ocorrendo, histórias virais bons de exemplos, defesa da vida humana, exemplo de ajuda ao necessitado e bem como 1,2 vezes por dia  publicávamos alguma notícia sobre atualidades mais como prestação de serviço para que o católico possa se informar.

Quem acompanha sabe do que estou falando e sabe da nossa seriedade e do nosso compromisso com a verdade, jamais negamos falar a verdade, e sofremos até hoje com isso.

O anticatolicismo é uma realidade, dura e cruel, a intolerância a nós é grande, a perseguição é maior. Os católicos vem sendo humilhados, tratados como cidadãos de segunda classe todos os dias, assistem seus locais de culto serem destruídos, hóstias sendo pisoteadas e profanadas, os objetos litúrgicos sendo quebrados. Nossa fé e nossa liberdade de culto está cada vez mais sendo invadida. A perseguição em certos países (alguns também do dito 1º mundo) mostram como que estamos sendo tratados, da pior forma.

A sanção foi a retirada total do alcance da página por 1 semana, sei que isso com certeza vai durar muita mais pois perderemos em 1 semana o engajamento público, todo um esforço para conseguir ”curtidas”, investimento em tempo, conteúdo e dinheiro para criar conteúdo.

O Facebook com essa sanção aplicada colocou o seguinte comunicado no topo da fanpage para os administradores:

As histórias da sua Página não estão sendo mostradas no Feed de Notícias. Isso pode estar ocorrendo porque as atividades da sua Página talvez não estejam em conformidade com as políticas do Facebook. Este limite é temporário e expira em Quinta-feira, 23 de julho de 2020 às 06:13.

Me chama a atenção a sentença: “Isso pode estar ocorrendo porque as atividades da sua Página talvez não estejam em conformidade com as políticas do Facebook.”

AGORA VEM A QUESTÃO… 

O que o Observatório Católico fez que ”NÃO esteja em conformidade com as políticas do Facebook”? Mostrou que paróquias estão sendo vandalizadas no Brasil e no mundo? Mostrou que Dom Henrique está precisando de orações em seu delicado estado de saúde? Mostrou a história de um garoto que salvou a irmã de um cão bravo? Mostrou a violenta agressão aos monumentos católicos pelo mundo?

O comunicado não fala qual política o OC feriu e não diz qual a atividade que ocasionou isso, ou seja podemos dizer que seja uma suposta política e uma suposta atividade.  Procuramos interpolar o Facebook através de suporte, seu suporte é inexistente ou nulo. E se você achava que a coisa não poderia ficar mais ridícula, veja só…

Dentro do comunicado tem um botão chamado ”discordar da decisão” em tempo achei que era uma forma de contrapor essa INJUSTA SANÇÃO, que tem toda característica de uma CENSURA, mas após clicar no botão aparece a seguinte janela:

Geralmente oferecemos a chance de solicitar uma análise e acompanhamos para saber se tomamos a decisão errada. Temos menos analistas disponíveis no momento devido ao surto do coronavírus (COVID-19). Estamos procurando priorizar a análise de conteúdo com mais potencial de ser prejudicial. Isso significa que pode ser que não consigamos fazer o acompanhamento com você, embora o seu feedback nos ajude a melhorar o nosso trabalho no futuro.

Ou seja o ”Isso significa que pode ser que não consigamos fazer o acompanhamento com você” quer dizer não ligamos para o que você acha da sanção.

Ontem andei pensando que essa sanção que caracteriza sim uma censura, volto aqui a colocar, tem um fundo sim de uma certa intolerância aos católicos. O Observatório Católico não é um grupo político, não é um grupo ideológico.. é apenas um grupo apostolar, um apostolado católico que muita gente sempre confiou e acreditou em nosso trabalho. Ou seja é um ato de censura aos católicos, um ato de intolerância ao conteúdo. Impedir que pessoas vejam notícias sobre sua fé, sobre o seu universo é algo perverso..

A HISTÓRIA MOSTRA ALGO:

Eu como apaixonado por história desde os meus 8 anos de idade (quanto tempo!) não consigo deixar de fazer um paralelo com ela, é vicio de estudante de história, e de interessado por descobrir detalhes sobre ela, sou grande admirador de certos temas.

Essa censura me remete a história dos irlandeses católicos na Inglaterra do século XIX ou do começo do século XX, aonde o irlandês era carvoeiro, limpador de fossa, recolhedor de lixo.. o melhor trabalho que o irlandês católico podia ter era ser motorista de uma família de aristocratas ingleses, mesmo assim dormindo na garagem ou no estábulos com os cavalos, o irlandês católico era tratado como cidadão de segunda classe, por ser católico.. era visto como um ser indesejado, um fedido, um párea pelo poderoso Império Britânico.

Sua terra foi ocupada, dividida, os católicos passaram fome, foram muitos católicos mortos devido a disputada da batata, feita pela Inglaterra. Tanto que isso resultou feridas sociais vistas até hoje e com a Guerra da Irlanda etc etc.

O irlandês que aceitava ir para a ilha da Grã Bretanha, não tinha se quer o direito a liberdade de culto. Tinha que se submeter a todo tipo de humilhação pública ou intima. Era tratado como um derrotado, um perdedor.

Muitas vezes os irlandeses preferiram ir para países como EUA, encarar um porão de um navio sujo, pegar uma doença, uma diarreia grave, deixar família, amigos, compadrio etc do que ir para a Grã Bretanha e ser visto como um párea social. Fora ainda as muitas guerras idiotas que o Império travava por causa do ego dos monarcas, e os irlandeses católicos junto com os indianos, sul-africanos etc eram mandados para a linha de frente para ”morrer pelo império”.

Eu confesso aos amigos aqui que neste caso do Facebook estou me sentindo como um cidadão de 2ª classe como um irlandês católico na época do Império Britânico, sem direito nenhum, sem possibilidade nenhuma de protesto, foi como eu me senti, fomos tratados por essa rede social como ”páreas”.

Foram lá e retiraram o alcance de nossa página sem explicar o motivo, qual a postagem feita que ”infringiu a política”, a falta de transparência e essa piadinha após clicar no botão do ”discordo” dizerem que não poderão acompanhar o pedido e que ”agradecem o feedback”.

É a forma mais educada de dizer: ”estamos nem ai, problema seu, se sofreu uma sanção injusta de nossa parte e está revoltado, não ligamos..”

O anticatolicismo é uma realidade dura, eu que denuncio isso todos os dias fui vítima disso várias vezes, por ser visto como ”louco” ou como um ”barata de sacristia”. A intolerância é permanente, o Senhor já disse isso que quem falar o nome dele, será perseguido.

Este episódio mostra mais um exemplo de perseguição anticatólica e de intolerância religiosa. Mais um entre milhares que estamos tendo todos os anos seja na vida real ou na vida virtual. Volto a repetir que no caso do Observatório Católico isso se mostra com obviedade.

POR: MAURÍCIO RIBEIRO