Menina de 8 anos que sobreviveu a um grande acidente é testemunho de fé na adversidade

Atualidades

O testemunho de uma menina de oito anos que sobreviveu após ser atropelada por uma van mostra a sua mensagem de fé e caridade em meio à adversidade.

Na semana passada, Rosie Sajevic, de oito anos, estava andando de bicicleta a alguns quarteirões de sua casa em Hibbing, Minnesota, quando uma van da transportadora FedEx a atropelou, causando graves ferimentos em suas pernas.

“Eu estava andando de bicicleta e vi a van da FedEx, depois perdi a consciência e acordei no chão”, disse Rosie à CNA, agência em inglês do grupo ACI.

A mãe de Rosie, Teresa Sajevic, correu para o local do acidente depois de receber uma ligação da polícia.

“Suas pernas estavam totalmente destroçadas”, disse Teresa à CNA. “Não a vi se mexer e tive muito medo de que estivesse morta”.

Mas quando se aproximou de sua filha, percebeu que a menina estava rezando a Ave-Maria.

A fé católica é muito importante para os Sajevics, e a educação em casa permite que a fé seja incorporada ao currículo de Rosie. Teresa indicou que sua filha realizou uma consagração a Nossa Senhora recentemente, e agora pensa em Maria como sua mãe celestial.

Teresa indicou que Rosie atribui a salvação de sua vida a Cristo, ao seu anjo da guarda, e à intercessão de seus cinco irmãos falecidos e enfatizou que sua filha lhe disse depois do acidente que seus irmãos “deviam estar ao meu redor como uma bolha junto com meu anjo da guarda”.

Cristo “esteve comigo. Ele poderia ter deixado passar por cima de mim, mas não o fez, ele foi muito atento comigo, e estou muito agradecida”, disse Rosie.

Quando o pároco da paróquia Holy Spirit em Virgínia, Pe. Brandon Moravitz, soube do acidente de Rosie, rapidamente reuniu os paroquianos para oferecer ajuda.

“Percebi que precisariam de algum tipo de rampa para entrar em casa”, disse o Pe. Moravitz.

“Eu não podia acreditar”, disse Teresa. “Estamos unidos na Eucaristia como irmãos e irmãs, mas não somos seus paroquianos”, sua ajuda foi inesperada, acrescentou.

A mãe de Rosie acrescentou que, na situação atual de sua família, a rampa era uma carga financeira que ela e seu esposo nunca teriam sonhado em realizar.

Ajudar os necessitados não é novidade para a Paróquia Holy Spirit. No ano passado, a paróquia alugou e forneceu um apartamento para uma mãe solteira cuja casa sofreu um incêndio. Também compraram um carro para uma jovem com câncer.

“(Os paroquianos) têm um grande coração e querem ajudar as pessoas necessitadas, e realmente respondem à altura das circunstâncias quando peço ajuda. E fizeram algumas coisas que realmente mudaram a vida das famílias em nossa zona”, disse o Pe. Moravitz.

O sacerdote assinalou que é bonito testemunhar como os pequenos empresários católicos de sua paróquia têm sido especialmente generosos, “têm um coração para o Senhor e estão usando seus negócios para construir o reino de Deus”.

“Espero que isso possa ser um exemplo para outras paróquias, outros sacerdotes, outros leigos, para não só falar, mas sair e fazer. Porque há pessoas em cada comunidade neste país que precisam da luz de Cristo e da fé”, disse o Pe. Moravitz.

No decorrer de seu acidente e hospitalização, a própria Rosie pensou primeiro nos demais.

Teresa disse que a primeira preocupação de Rosie era se o motorista estava bem e fizeram orações por ele.

Rosie, que às vezes diz à mãe para “confiar mais”, tem uma grande esperança no futuro. Ela está animada por poder andar de muletas em alguns meses e conhecer seu novo irmãozinho em pouco tempo.

Quando perguntada o que diria a qualquer criança que se queixa de sua vida, Rosie disse: “Eu diria que você está vivo!”.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.