Missões Salesianas na África tem ajudado milhares de jovens carentes a terem seu ganha pão

Igreja na África

Por ocasião da Jornada Internacional da Juventude (IYD), que se celebrou quarta-feira, as Missões Salesianas, braço americano dos Salesianos de Dom Bosco, apresentaram as diversas iniciativas de apoio com que beneficiam os jovens na África.

Em relatório divulgado no dia 11 de agosto com a ACI África, agência do Grupo ACI, funcionários das Missões Salesianas destacaram as iniciativas de capacitação instaladas no Benin e na Libéria, dois países da África Ocidental.

“Em muitos países onde a pobreza é alta e o acesso à educação não é universal, é fundamental que os missionários salesianos ofereçam formação técnica e profissional ao maior número possível de jovens, para que tenham acesso a um emprego estável e duradouro”. afirmou o Diretor das Missões Salesianas, P. Gus Baek, no relatório.

Os missionários salesianos que dirigem instituições educacionais, observa o diretor, “também trabalham para que os jovens entendam e conheçam seus direitos e tenham a confiança e a oportunidade de fazer com que suas vozes sejam ouvidas”.

No Benin, a agência de desenvolvimento com sede nos Estados Unidos apóia crianças desabrigadas, vítimas de abusos e abandono, por meio do Don Bosco Foyer Centre na Diocese de Kandi, no leste do país.

“O Foyer Dom Bosco cuida de meninos e meninas em situações muito complexas, incluindo crianças que foram abandonadas por suas famílias, vítimas de abusos e vítimas de casamentos forçados”, disse Hannah Gregory, Representante da Comunicação Social para as Missões Salesianas.

Com o financiamento de Misiones Salesianas, o Centro educou mais de 3.700 pessoas sobre os direitos da criança e os sistemas de proteção infantil, relatou Gregory, acrescentando que “inclui educar os pais sobre os direitos e deveres das crianças. crianças e mecanismos de alerta precoce e detecção de situações vulneráveis ​​”.

Até à data, o Centro no Benin conseguiu cuidar de 77 crianças, reintegrar 50 crianças nos programas e reintegrar outras 50 crianças com as suas famílias, informou o funcionário sedeado em Nova Iorque.

Com o apoio das Missões Salesianas, os missionários Dom Bosco do Centro Dom Bosco Foyer têm facilitado o ensino de alunos e aprendizes sobre seus direitos e deveres, bem como sobre higiene pessoal e mecanismos de denúncia em caso de abuso, violência e exploração.

Outras atividades desenvolvidas no Centro, de acordo com o relatório, incluem ações de conscientização pública nos mercados e na rádio sobre a legislação penal do país no contexto de abuso, tráfico, maus-tratos ou exploração de crianças, bem como a formação de funcionários do autoridades locais e líderes religiosos sobre seu papel na proteção das crianças.

Na capital liberiana, Monróvia, onde os Salesianos dirigem em paróquias, centros juvenis, escolas e oratórios desde 1979, as Missões Salesianas se dedicam a apoiar diversas escolas, como a Escola Maria Auxiliadora e a Escola Superior Técnica Dom Bosco.

O Colégio Maria Auxiliadora, dirigido pelas Irmãs Salesianas, oferece uma base de educação e apoio aos jovens estudantes que, de outra forma, teriam oportunidades limitadas, disse Gregory.

Fundada em 1993, a escola atende a cerca de 560 alunos, dos quais mais de 100 beneficiam do programa alimentar da instituição financiado pelas missões salesianas.

Para complementar o esforço educacional, a Escola Superior Técnica Dom Bosco lançou em 2019 um curso de formação profissional para técnicos em eletrônica, que atende 90 alunos do ensino médio e 30 eletricistas não credenciados a cada ano.

O curso é aberto a alunos do ensino médio à tarde e a jovens trabalhadores no período da manhã “para ajudá-los a obter a certificação e melhorar suas opções na força de trabalho”, disse Gregory.

“O lançamento da formação de técnico em electrónica fez parte de uma iniciativa que incluiu a renovação do espaço existente na Escola Superior Técnica Dom Bosco para o transformar em oficina”, acrescentou o responsável.

A iniciativa, explica, “teve como objetivo responder às necessidades do mercado de trabalho e, ao mesmo tempo, garantir que os jovens tenham acesso a uma formação profissional e técnica que os ajude a encontrar um emprego estável a longo prazo”.

Estabelecido pela ONU para aumentar a conscientização sobre as questões que afetam os jovens em todo o mundo, o IYD 2020 é realizado sob o tema “Engajamento Juvenil para Ação Global”.

O tema “busca destacar as maneiras pelas quais a participação da juventude nos níveis local, nacional e global está enriquecendo as instituições e processos nacionais e multilaterais, bem como tirar lições sobre como sua representação e participação na política institucional formal podem ser significativamente melhoradas. ”.

Traduzido e adaptado por Diego López Marina. Originalmente publicado na ICA África .

POR: ACI PRENSA