Moçambique: Região de ataques do ISIS receberá missionários católicos portugueses

Igreja na África

O arcebispo de Braga e primaz de Portugal, Dom Jorge Ortiga, anunciou a nomeação de uma nova equipe missionária para atuar na paróquia de Santa Cecília de Ocua, na Diocese de Pemba, Moçambique.
Há cinco anos a Arquidiocese de Braga assumiu uma colaboração missionária com a Diocese de Pemba.

Missão arriscada e necessária: a Igreja é atacada pelo ISIS e envolvida no combate ao coronavirus

Dom Jorge Ortiga escreveu no decreto de nomeações para o ano pastoral 2020/2021, publicado no site da arquidiocese, que “Este ano, esta Missão tem ainda mais sentido, tendo em conta que, com a pandemia, a presença missionária é ainda mais necessária, e também devido ao conflito em Cabo Delgado, que tem fustigado o norte da província da Diocese de Pemba e nos quais a Igreja Católica tem tido um papel muito importante de presença e de denúncia dos mesmos”.

O missionário deve ter uma disponibilidade generosa e sacrificada

O arcebispo primaz destaca também a necessidade de uma “presença constante” na comunidade moçambicana, com sacerdotes e leigos que voluntariamente ofereçam um período da sua vida.

Para Dom Jorge, “Sem esta disponibilidade generosa, e por vezes sacrificada, não conseguiremos respeitar o compromisso assinado. É importante não abandonar o nosso povo irmão, mantendo, obviamente, a equipa missionária em segurança”.

A Equipe Missionária da Arquidiocese de Braga vai assumir a coordenação pastoral da Paróquia de Santa Cecília de Ocua, nos termos e condições do Acordo de Cooperação Missionária assinado com a Diocese de Pemba. (JSG)

POR: GAUDIUM