O nível de insegurança na Nigéria é intolerável, denuncia Arcebispo

Igreja na África

O Arcebispo de Kaduna (Nigéria) assinalou que o país tem níveis de insegurança intoleráveis e está sob assédio, depois do terceiro sequestro ocorrido em sua diocese.

Segundo o Arcebispo de Kaduna, Dom Matthew Man-oso Ndagoso, assinala à Agência vaticana Fides, o sequestro dos quatro seminaristas do Seminário Mario do Bom Pastor de Kakau, em 8 de janeiro, é o “terceiro sequestro de pessoas eclesiásticas em nossa diocese”.

Dias depois, um dos seminaristas foi libertado. Até o momento, não se tem notícias dos outros três que foram sequestrados.

Dom Ndagoso assinalou que “nenhum outro país pode tolerar esses níveis de insegurança”, mas lamentavelmente a população se resignou a viver nesta situação, porque consideram que já não há nada o que possa ser feito.

O Arcebispo questionou o papel dos líderes do país, que assinalam ter o controle da segurança da Nigéria, e ressaltou a necessidade de usar “as tecnologias de segurança avançadas desenvolvidas no século XXI, não há lugar no mundo, nem sequer sob as águas, em que os criminosos não possam ser encontrados”.

Finalmente, Dom Ndagoso afirmou que a segurança no seminário foi reforçada e pediu orações pela pronta libertação dos seminaristas sequestrados.

“Continuamos esperando que Deus faça com que se mostre quem está por trás da insegurança neste país”, concluiu.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Natalia Zimbrão.