Sacerdote denuncia aumento de violência contra católicos na Nigéria

Igreja na África

Segundo a Agência Fides, em recentes declarações, o Padre Sam Ebute disse que os cristãos estão constantemente preocupados com a próxima onda de ataques. E o sacerdote ainda disse que “Nas últimas sete semanas, temos enterrado nossos paroquianos sem termo um fim à vista.

O país está nas garras do Ceifador a violência contra os cristãos deixa os fiéis paralisados de medo, incapazes de rezar e adorar a Deus... 'É como se tivéssemos morrido por causa de nossa fé'!

Os ataques contra os cristãos deixaram todos com medo, sem ação. É como se tivéssemos morrido por causa de nossa Fé.

O sacerdote de Kangoro, na Nigéria, afirmou que “os últimos ataques realizados contra os cristãos deixaram todos nós com medo e principalmente o medo do desconhecido, porque não sabemos quando a próxima rodada de ataques vai acontecer e o que vai desencadear isso”.

Segundo a Fides, o sacerdote nigeriano acrescentou ainda: “Nossos movimentos são limitados, nossos fiéis não podem realizar suas atividades livremente”.
“Não podemos rezar, adorar em paz. Não temos confiança na segurança de nossas casas. ”

“Agora é época de agricultura, mas cristãos não ousam ir para suas fazendas com medo de serem atacados lá. Eles deixaram suas colheitas perecerem. É como se tivéssemos morrido por causa de nossa fé. ”

O governo não oferece proteção para os cristãos, mesmo depois 178 mortes

Criticando a recusa do Governo de fornecer proteção aos cristãos, Padre Ebute disse que em sete meses, 178 pessoas foram mortas no estado de Kaduna e, segundo relatos, o crime foi realizado por militantes dos pastores Fulani.

Disse o sacerdote: “O que torna tudo isso ainda mais difícil é o fato de o governo não tomar medidas decisivas para conter a ameaça. Esta é a coisa mais devastadora e frustrante de se imaginar. ”

Padre Ebute: numa reunião de jovens, 17 jovens foram mortos. Desde que me ordenei tenho enterrado meus paroquianos

O padre Ebute é o Diretor de Vocações da Sociedade de Missões Africanas e enterrou 21 de seus paroquianos depois que bandidos atacaram a aldeia de Kukum Daji. Ele contou que “A comunidade estava tendo uma reunião de jovens quando, de repente, eles ouviram tiros e ruídos de homens gritando …

“Em menos de duas horas, os bandidos deixaram 17 jovens mortos, a maioria meninas, enquanto quatro morreram no caminho para o hospital ou no hospital, perfazendo um total de 21”.

“Há quatro anos, desde que me tornei padre em 2016, tenho enterrado meus paroquianos”, acrescentou.

“Nuvens negras de violência envolveram nossa terra. Nosso país está nas garras do Ceifador”

Os comentários e afirmações do Padre Ebute soam como ecos de comentários já feitos pelos bispos da província nigeriana de Kaduna que, em um comunicado, alertaram que a Nigéria foi engolfada pela violência.

Disseram os Bispos: “Nuvens negras de violência envolveram nossa terra. Nosso país está nas garras do Ceifador. Nos últimos anos, os promotores dessa violência tomaram conta da terra e colocaram nossas forças de segurança na defensiva …

“Nos últimos três anos, testemunhamos ataques implacáveis ​​e saques a comunidades inteiras … milhares de vidas foram perdidas para esses bandidos que operaram com abandono implacável. ”

Os Bispos da Província Kaduna, ainda acrescentaram, para finalizar:

“A devastação de Boko Haram, os pastores, sequestradores e bandidos transformaram todos em vítimas”. ‘É como se tivéssemos morrido por causa de nossa fé’.     (JSG)

POR: GAUDIUM