Sacerdote é condenado a pagar elevada indenização por impedir um aborto

Pró-família

O Padre Luiz Carlos Lodi, da Diocese de Anápolis (GO), terá que pagar uma indenização de R$ 398 mil a um casal, após ter obtido uma liminar que impedia o aborto de um feto com a síndrome de ‘Body Stalk’, anomalia caracterizada pelo cordão umbilical curto e a não possibilidade de fechamento da parede abdominal, deixando os órgãos internos expostos.

Decisões judiciais

Na ocasião, a mulher havia conseguido na Justiça o direito de abortar pois segundo os médicos, por conta da grave doença, o bebê não teria condições de viver fora do útero. Enquanto ela tomava a medicação para dar andamento ao aborto, o padre obteve outra decisão que obrigou a gestante a interromper o procedimento e deixar o hospital. O bebê nasceu oito dias depois, morrendo duas horas após o parto.

Apesar do caso ter ocorrido em outubro de 2005, a mulher acionou a justiça apenas em 2008. Em 2016 o sacerdote foi condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) a pagar indenização de R$ 60 mil com correções e juros. Em agosto deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) não acolheu o recurso, o processo tramitou em julgado, esgotando as possibilidades de novas apelações.

Criação de um precedente

Em entrevista à ACI Digital, o sacerdote comentou que a condenação é preocupante pelo fato de criar um “precedente muito ruim, porque instaurou uma perseguição contra a Igreja Católica. Este caso coloca como oficial que não se pode defender a vida em nome da Fé que se professa, mesmo que usando os meios legais para isso”.

“Com essa decisão, qualquer pessoa que queira usar os meios legais para defender a vida e impedir um aborto pode não fazê-lo por medo de entrar na Justiça e depois ser processada”, lamentou.

Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça

Apesar da condenação, Padre Lodi manifestou estar tranquilo e inclusive alegre, pois “Jesus disse: ‘Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus’”, concluiu. (EPC)

POR: GAUDIUM