Senador dos EUA Ted Cruz pede investigação sobre o filme ‘Cuties’ da Netflix

Pró-família

Ted Cruz, senador do Partido Republicano pelo Estado do Texas, pediu ao Procurador-Geral dos Estados Unidos que investigue se a Netflix e o filme “Cuties” (Mignonnes, em seu original em francês), que sexualiza meninas de onze anos, “violaram alguma lei federal contra a produção e distribuição de pornografia infantil”.

Em uma carta enviada em 11 de setembro, Cruz disse ao procurador-geral dos EUA, William Barr, que “o serviço de vídeo em streaming e produtor de conteúdo Netflix está apresentando um filme intitulado ‘Cuties’ que sexualiza meninas, incluindo danças que estimulam atividades sexuais e uma cena expondo o peito nu de uma menor”.

“Exorto o Departamento de Justiça a investigar a produção e distribuição desta gravação para determinar se a Netflix, seus executivos ou indivíduos envolvidos na filmagem e produção de ‘Cuties’ violaram alguma lei federal contra a produção e distribuição de pornografia infantil”, escreveu o Senador republicano.

Até o momento, uma campanha lançada na plataforma CitizenGO coletou mais de 220 mil assinaturas contra Cuties, exigindo que a Netflix “retire esta produção altamente ofensiva.”

“É absolutamente inaceitável promover filmes que sexualizem meninas de 11 anos”, afirmam os signatários.

Cuties é um filme escrito e dirigido pela franco-senegalesa Maïmouna Doucouré. Estreou originalmente no Festival de Cinema de Sundance de 2020, em janeiro deste ano, e começou a ser transmitido na Netflix em setembro.

Na Netflix, o filme foi anunciado com a seguinte sinopse: “Amy tem onze anos e quer pertencer a um grupo de meninas da sua idade que dançam sensualmente, por isso começa a explorar a feminilidade e a desafiar a sua família religiosa”

A Netflix pediu desculpas publicamente pela sinopse, bem como pela imagem que usou para promover Cuties, que considerou “imagens inadequadas”. No entanto, o filme não foi retirado.

Em sua carta ao procurador-geral dos Estados Unidos, Ted Cruz advertiu que Cuties “rotineiramente fetichizam e sexualizam essas meninas pré-adolescentes enquanto executam danças que estimulam condutas sexuais usando roupas reveladoras, incluindo pelo menos uma cena com nudez infantil parcial”.

“Essas cenas em si são prejudiciais”, continuou Cruz. “E é provável que a filmagem deste filme tenha criado cenas ainda mais explícitas e abusivas, e que os pedófilos ao redor do mundo no futuro irão manipular e imitar este filme em formas abusivas”.

O senador republicano enfatizou que “embora a Primeira Emenda forneça fortes proteções para a expressão artística, não permite que indivíduos ou corporações com fins lucrativos produzam ou distribuam pornografia infantil”.

Para participar da campanha de assinaturas do CitizenGO exigindo que a Netflix remova Cuties de seu serviço, você pode entrar AQUI.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

POR: ACI