Teto da Catedral de Notre Dame deve ser reconstruído em madeira, diz arquiteto

Igreja

O que não está danificado, não repare. Este poderia ser o princípio de sentido comum que resumiria uma exposição do arquiteto francês Eric Wirth, membro do Grêmio de Arquitetos Franceses, em uma Audiência Parlamentar do dia 08 de janeiro. O especialista pediu para reconstruir o teto da Catedral de Notre Dame no mesmo material que permitiu sua sobrevivência durante oito séculos: a madeira. “Temos que ser céticos diante das soluções que parecem brilhantes”, comentou Wirth em sua exposição aos legisladores, na qual criticou propostas que incluem o uso de metal ou concreto na estrutura que substitui o teto do templo, perdido durante um trágico incêndio em abril de 2019 que ainda põem em risco a estrutura. “O material mais moderno e ecológico de hoje é a madeira”.

O especialista recordou aos legisladores os desafios da obra de reconstrução que ainda não asseguraram em sua totalidade a estabilidade do histórico templo. O uso de materiais alternativos poderia significar novos riscos. “A Catedral esteve aqui durante 800 anos. Se tivesse sido construída em concreto ou em aço, não estaria ali”, assegurou. De fato, a madeira resultou ser a chave da sobrevivência do templo durante o incêndio. “Inclusive com todos os tratamentos de proteção, dada a intensidade das chamas, o aço teria durado meia hora e depois teria se retorcido, puxando as paredes e tudo teria se colapsado”, explicou o arquiteto. O uso de outros materiais como o concreto em formas leves apresenta desvantagens, já que toda a estrutura foi projetada para suportar o peso.

As Catedrais góticas “se sustentam estruturalmente porque há uma grande massa na abóbada do teto”, alertou. “Somente funcionam porque o teto é pesado”. A intervenção do arquiteto se produziu depois de que o encarregado dos trabalhos de reconstrução, o General Jean-Louis Georgelin, indicou aos meios de comunicação que serão analisadas todas as opções de materiais e que considera os chamados a empregar madeira segundo o projeto original como manobras da indústria madeireira. O reitor da Catedral, Dom Patrick Chauvet, declarou à agência Associated Press que o templo se encontrará em risco até que se retirem os restos de andaimes fundidos durante o incêndio e que considera que provavelmente não se poderá cumprir o prazo fixado pelas autoridades de concluir a reconstrução em 2024, ano no qual se celebrarão os Jogos Olímpicos com sede em Paris. (EPC)

GAUDIUM