VIRAL: Menino reza ajoelhado no meio da rua pelo fim do coronavírus

Coronavírus Viral

No Peru, viralizou uma fotografia de um menino ajoelhado, rezando em silêncio, no meio da noite e em uma rua vazia, para pedir a Deus pelo fim da pandemia mundial do coronavírus COVID-19.

A foto de Alen Castañeda Zelada, de 6 anos, foi tirada às 20h (hora local) pela fotógrafa Claudia Alejandra Mora Abanto, da cidade de Guadalupe, no departamento de La Libertad (Peru).

Mora usou seu perfil na rede social Facebook para contar a história dessa imagem. Ela disse que na segunda-feira, 13 de abril, os moradores de sua vizinhança se uniram “para rezar e pedir a Deus pela situação de emergência que estamos vivendo” e “assim compartilhar esperança e fé”.

Em seguida, indica que aproveitou alguns “minutos antes de as pessoas saírem às suas portas para fazer uma foto de todas as velas”, mas, belo foi o momento que encontrou “este menino”.

“Então, eu perguntei o que ele estava fazendo e me respondeu, em sua inocência, que estava fazendo sozinho um pedido a Deus e que saiu porque em sua casa havia muito barulho, que assim, seu desejo não ia se cumprir”.

“Sem dúvida, seu desejo é claro, eles não são alheios ao que está acontecendo”, contou Mora.

Depois de tirar a fotografia, disse que um sorriso apareceu em seu rosto, encheu-se de “fé e esperança” e ficou encantada “por ser uma testemunha do amor e da confiança dessa criança em Deus”.

“Que belo que se ensine isso, inclusive nos tempos difíceis. Que a fé nunca morra”, concluiu.

Em declarações ao meio local RPP, o pequeno Alen revelou que começou a rezar para que Deus “cuide daqueles que estão com esta doença”.

“Estou pedindo que ninguém saia, muitas pessoas idosas estão morrendo com esta doença”, disse.

Abraham Castañeda Malca, pai do menino, acrescentou ao meio peruano: “Somos uma família católica e fiquei bastante surpreso porque, imaginem-se, com tantas coisas que estão acontecendo neste mundo: a pandemia e vendo tantas pessoas morrendo. Foi realmente uma surpresa. Meu filho é um garotinho de seis anos e eu não pensava que ele iria reagir assim, foi surpreendente para todos nós”.

Nesse bairro, os moradores se organizam para fazer uma rede de oração todas as noites e pedir pelo fim da doença.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.