Vitória pró-vida! Menina em coma Tafida Raqeeb será transferida para hospital da Itália

Pró-família

O Supremo Tribunal de Justiça da Inglaterra decidiu na quarta-feira, 2 de outubro, que Tafida Raqeeb, uma menina de cinco anos em coma, pode ser transferida para um hospital na Itália para continuar seu tratamento.

Após um julgamento que durou cinco dias, a criança terá uma nova oportunidade de se recuperar e, assim, impedir que os médicos britânicos desconectem seu suporte de vida.

Tafida Raqeeb permanece em coma desde 9 de fevereiro de 2019, após sofrer uma malformação arteriovenosa que provocou o rompimento de um vaso sanguíneo em seu cérebro. Seus pais assinalaram que ela estava “completamente saudável” antes da lesão.

Em 16 de julho, os pais, Mohammed Raqeeb e Shelina Begum, pediram ao Superior Tribunal de Justiça da Inglaterra e do País de Gales que lhes permitisse sair do país, mas os médicos do Royal London Hospital proibiram sua transferência, argumentando que qualquer tratamento médico adicional seria inútil e que se deveria colocar fim ao “tratamento com suporte vital” da menina.

No entanto, dois médicos do hospital pediátrico italiano L’Istituto Giannina Gaslini, em Gênova, examinaram Tafida através de uma chamada de vídeo no início de julho e aceitaram tratar dela na Itália; indicaram que não acreditam que a menina padeça de morte cerebral.

CitizenGO lançou em julho passado a campanha de assinaturas on-line “Let Tafida Raqeeb go to Italy” (Deixem Tafida Raqeeb ir para Itália), que reuniu mais de 278 mil assinaturas endereçadas à direção do Royal London Hospital e ao Barts Health NHS Trust (terceirizada do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, que administra cinco hospitais em Londres, entre eles o Royal London Hospital), para que permitissem que a criança fosse transferida.

Caroline Farrow, diretora de campanhas de CitizenGO em Londres, disse em 3 de outubro que a decisão do Tribunal Superior foi “uma sentença histórica que defende a dignidade da vida humana”.

“No CitizenGO, estamos muito contentes de que a decisão correta tenha sido tomada, e o juiz (Alistair) Macdonald vai permitir que Tafida seja transferida para a Itália para continuar o seu tratamento”, acrescentou.

ACI